domingo, 15 de abril de 2012

PALESTRA E EXPOSIÇÃO DAS ABELHAS NATIVAS NO MOSAICO CARIOCA




A palestra no Mosaico Carioca de abelhas nativas sem ferrão no prédio da Prefeitura no CASS foi um sucesso. A palestra teve inicio com o Biólogo Leonardo Furtado falando sobre o Parque Estadual da Pedra Branca e a importância desta atividade com as abelhas nativas na educação ambiental do Parque, depois eu ministrei a palestra sobre as principais espécies de abelhas nativas do Estado do Rio de Janeiro e do Brasil, e logo a Zootecnista Christiane dos Santos Rio Branco apresentou o projeto Natureza Doce e falou sobre a importância da pesquisa científica nesta área   e também tivemos a presença do presidente Andreas e os diretores Carlos Ivan e José Wickler da AME-RIO ( Associação de Meliponicultores do Estado do Rio de Janeiro ) que nos ajudaram auxiliando nas perguntas sobre as abelhas nativas. As abelhas que estavam na exposição em caixas de madeira com acetato transparente foram a abelha jatai, mirim, irai, mombucão, mandaçaia e uruçu verdadeira.

.
Meliponicultor Christiano Figueira ministrando a palestra sobre abelhas nativas sem ferrão.



Biólogo Leonardo Furtado falando sobre o Parque Estadual da Pedra Branca e a importância desta atividade com as abelhas nativas na educação ambiental do PEPB.

Zootecnista Christiane dos Santos Rio Branco apresentando o projeto Natureza Doce e falando sobre a importância da pesquisa científica nesta área.



sábado, 17 de março de 2012

Os alunos se encantam com as abelhas nativas do Parque Estadual da Pedra Branca


A educação ambiental através das abelhas nativas é uma ferramenta importante para que crianças, alunos, universitários, comunidades e público em geral entendam que para se manter e preservar as florestas é preciso também preserva os seus polinizadores que na grande maioria são as abelhas nativas.  













segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

AS LINDAS ABELHAS JATAÍS

Taxonomia

· Hymenoptera
. Apoidea
. Apidae
· Meliponini
Nome científico: Tetragonisca angustula angustula (Holmberg)
Nome popular: JATAÍ (Nogueira-Neto, 1970).

Distribuição geográfica

Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Rio de Janeiro, Rondônia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo (Silveira et al., 2002).

Referência
Silveira et al., 2002. Abelhas Brasileiras. Belo Horizonte.

Ecologia

A entrada do ninho é um tubo, não muito curto, construído com cerume mole, sua parede é fina e apresenta pequenos furos (Nogueira-Neto, 1970). Favos de cria horizontais ou helicoidais e ocorrem células reais (Nogueira-Neto, 1970). Invólucro presente e muito desenvolvido ao redor dos favos de cria (Nogueira-Neto, 1970). Potes de alimento pequenos, atingindo 1,5 cm de altura (Nogueira-Neto, 1970). Tamanho das colônias: 2.000-5.000 abelhas (Lindauer & Kerr, 1960). Podem ou não apresentar comportamento agressivo, beliscando a pele e enrolando nos cabelos, entretanto, esse comportamento é breve (Nogueira-Neto, 1970). É uma das abelhas mais fáceis (Nogueira-Neto, 1970).

Referência
Nogueira-Neto. A criação de abelhas indígenas sem ferrão. Tecnapis. 1970.
Lindauer & Kerr, 1960




Abelha Jataí

Abelhas Jataí

Bicho! (Tetragonisca angustula)

Abelhas Jataí (Tetragonisca angustula)

13- Abelha Jataí coletando resina no pedúnculo da flor Coroa-de-Cristo. Note que em sua pata trazeira  já tem um boa porção. Tamanho médio da abelha 5.5 mm. 04-03-10

Abelhas Jataí coletando resina  no pedúnculo da planta Coroa-de-cristo.

Macro - Little bee on a rose


BZZZ!!!

Jataí

"O bonito me encanta, mas o sincero, ah! Esse me fascina"

Jataí na flor de pessego

14- Cacho de flores Coroa-de-Cristo.  11-10-09

16- Abelha jataí coletando pólen da flor Coroa-de-Crito. 15-10-09